terça-feira, outubro 30, 2007

Top 5 - Cinema de Oliver Stone

5º - Born On the 4th of Jully.

O filme mais trágico de Stone até à data. Um retrato dramático e revoltado, com uma grande história e um fortíssimo contéudo político, histórico e social. Magnífica realização, Tom Cruise no papel da sua vida e uma inesquécivel banda sonora de John Williams.

4º - Natural Born Killers.

O filme bomba de uma década. Está para os anos 90 como A Clockwork Orange para os anos 70. Inovador, iconoclasta e subversivo, NBK é uma inteligente e bombástica sátira à violência na sociedade e no cinema. Escrito por Tarantino e reescrito por Stone. Genial!

3º - JFK.

O filme polémico. A revista a um dos momentos mais traumáticos da história norte-americana: o assassinato de John F. Kennedy. Visualmente frenético, com uma pulsão imparável, Stone deixa no ar a possibilidade de uma conspiração nas mais altas esferas do governo americano estar por detrás do assassinato do malogrado Kennedy (o que lhe valeu uma injusta fama de maluquinho das conspirações). Independentemente disso, há inteligência e talento q.b., de um genial cineasta que tem em JFK um dos seus mais belos filmes. Destaque para Kevin costner num grande papel.

2º - SALVADOR.

O filme revelação. Mergulho na torturada América Latina, e na guerra civil em El Salvador. James Woods (genia e nomeado para Oscarl) e James Belushi, são o par de escroques, alcoólicos, sexistas e vulgares, que em busca de mulheres fáceis e bebida barata, acabam por se deparar com um verdadeiro genocídio apoiado pelo governo norte-americano de Reagan. Com um humor selvagem e com cenas de uma brutalidade chocante (e por vezes tocante) Salvador, é dos filmes mais emocionais e directos de Stone. Ou seja: um dos seus melhores.

1º - PLATOON.

O filme sucesso. Fortemente autobiográfico, retrato impiedoso, cruel e realista da guerra do Vietname, (onde o próprio Stone combateu). Os soldados de Platoon não são nem bonzinhos nem heróicos. Uns bebem, drogam-se, assassinam e violam. Mas outros também são capazes da amizade, da entreajuda, da compaixão e finalmente da redenção. No final a Guerra a todos muda, e a todos marca. Charlie Sheen num grande papel, assim como Tom Berenger e Willem Dafoe, constituem o potente trio de actores. O filme mais forte, mais dramático, mais corajoso, mais marcante, mais tudo! O Melhor de um cineasta apaixonante, muito pouco reconhecido em Portugal. Ao qual, deixo desde já, esta pequena homenagem.

11 comentários:

wasted blues disse...

Não está entre os meus realizadores favoritos. Gosto de 1 ou 2 filmes, nomeadamente de "Platoon".

Paulo disse...

De todos esses filmes, só não vi o "Salvador". Desconhecia por completo.
Na minha lista o JFK surgiria em primeiro lugar. Seria assim:

1 - JFK;
2 - Platoon;
3 - The Doors;
4 - World Trade Center;
5 - Born on the Fourth of July.

Bom fds!

Luís disse...

Wasted: compreendo o teu ponto de vista. uma das acusações que fazem a Stone é a sua falta de subtileza aliada a um cinema bombástico e de choque, que creio agradar mais a um público masculino que feminino:)

paulo: boa lista a tua. mas eu no caso do WTC, não o colocaria a não ser em último. Achei muito conservador para ser do Stone. Quanto ao Salvador, vê Paulo: é um Stone Vintage!

abraços cinéfilos aos dois

wasted blues disse...

Ui, não tem nada a ver com género e recuso-me a ver cinema sob esse prisma!

Sob esse prisma redutor, então eu só veria chick films, comédias românticas e afins, não? :S

Luís disse...

não é isso wasted. é que o cinema de oliver stone, está carregado de testostrona e uma certa linguagem "de caserna" que afastam o publico feminino. Dou-te um exemplo: numa entrevista conjunta a Stone e a Aranofsky, Aranofsky agradeceu a Stone o facto de duas namoradas suas o terem deixado após irem vêr um filme de Oliver stone:). portanto não creio que seja um prisma redutor mas um facto da nossa natureza:).

obrigado pela visita:)

wasted blues disse...

Continuo a não concordar, Luís. Por esse motivo, eu não gostaria de "Platoon", "JFK" ou "NBK" e gosto.

Apenas acho que, no geral, é um realizador sobrevalorizado e com alguns filmes mesmo mauzinhos na carreira, nomeadamente "U-Turn". Explicando melhor, comparando com outros realizadores da mesma geração, não o colocaria entre os meus favoritos.

Luís disse...

realmente u-turn destoa na carreira dele, mas quanto a ser sobrevalorizado...isso não acho, bem pelo contrário. quanto a mim é dos mais importantes realizadores norte-americanos e mesmo mundiais, pela sua coragem estética e temática. mas isso não quer dizer que não entenda quem não goste dele...

abraço cinéfilo wasted

wasted blues disse...

Mas ao menos entendes que nada tem a ver com género? ;) Aliás, se quiseres continuar a pôr a questão nesses termos, conheço homens que também não gostam de Oliver Stone como realizador).

Por exemplo, também classificarias Carpenter ou Scorsese como realizadores para um público masculino?

Cumps :)

Luís disse...

entendo em parte. scorsese quanto a mim tem filmes dificilimos de vêr pelo publico feminino: raging bull, taxi driver...entre outros. qto a carpenter já é mais soft e acessivel. qd abordei a questão do género, foi na generalidade do publico, e não nos cinéfilos incorrigiveis como nós...lol

Cataclismo Cerebral disse...

Gosto de Oliver Stone. Adoro o NBK, o JFK, o Born on the... e começo a apreciar mais o The Doors (tive uma relação de ódio para com este filme durante anos...).

1) NBK
2) JFK
3) Born on the...
4) Salvador
5) Platoon

wasted blues disse...

Só pode... se não começava a ficar preocupada. "Raging Bull" é o meu filme favorito do Scorsese :P

Ainda assim, disse e repito, recuso-me a ver o Cinema reduzido a géneros ;)

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails