terça-feira, maio 22, 2007

10 Grandes Flops, 10 Grandes Filmes

Heavens Gate (1980) de Michael Cimino

O rei de todos os flops. O filme que “afundou” a UA. O épico que Michael Cimino realizou após o sucesso retumbante de The Deer Hunter. Alvo de remontagens que o prejudicaram gravemente, é um filme belíssimo, em que o espírito megalómano de Cimino, está presente em todas as cenas. Excessivo em duração, excessivo em beleza pictórica, excessivo em audácia e excessivo em ambição. O melhor western moderno? Para mim é.

One From the Heart (1982) de Francis Ford Coppola

Tal como o filme de Cimino, este também afundou um estúdio, neste caso pertença do próprio realizador, a American Zoetrope. Desde uma Las Vegas inteiramente recriada em estúdio, aos épicos números de dança (com consultoria do mito Gene Kelly).à irreverência romântica das canções de Tom Waits. One From The Heart, marcou a estreia de novos processos de filmagem/edição (a utilização de vídeo para a pós-produção) e uma mescla entre linguagem teatral e linguagem verdadeiramente cinematográfica. Um filme verdadeiramente à frente do seu tempo.

Raging Bull (1980) de Martin Scorsese

Era suposto ser o canto de cisne do seu autor. O filme em que Scorsese iria empregar toda a sua criatividade e principalmente toda a sua alma e personna, sem receio das consequências negativas. Em conjunto com o já referido Heavens Gate, acabou por dar a machadada final na já debilitada UA. Uma abordagem anti-convencional sobre uma personalidade verdadeiramente auto-destrutiva (tal como o seu realizador na ressaca dos excessos dos anos 70). Não foi o final da carreira de Scorsese, mas foi o início de uma travessia no deserto Hollyoodesco que só acabou com The Last Temptation Of Chrsit e especialmente GoodFellas. As sequências de boxe, a raiva de De Niro ( e a sua impressiva transformação física ), a beleza da fotografia preto e branco e o virtuosismo e integridade artística de Scorsese, fazem deste filme um dos mais belos de todos os tempos.

New York, New york (1977) de Martin Scorsese

Homenagem Scorsesiana aos clássicos musicais de MGN, que com a sua mistura única entre escapismo e um realismo incómodo (a marca de Scorsese), deixou as audiências da altura perplexas. Um grande destaque para De Niro num dos seus grandes papéis.

Alexander (2004) de Oliver Stone

O filme da vida de Oliver Stone. O projecto com que sonhava desde criança, o épico do ano de 2004 e o maior flop desse mesmo ano. O realismo das batalhas, a abordagem autêntica aos personagens e uma certa recusa norte-americana a conhecer factos históricos, fez com que este belíssimo épico afundasse nas bilheteiras americanas. Posteriormente recuperou o seu dinheiro na Europa.

Scarface (1983) de Brian De Palma

Filme grandiloquente e desmesurado. Esteve desde a sua génese rodeado em polémica, com acusações de racismo da parte da comunidade cubana. O excesso patente no assombroso Tony Montana ( Al Pacino enorme ), a decadência que o crime causa e o tom negro e cláustrofóbico fizeram com que as audiências voltassem costas a este épico criminal. Destaque para o argumento escrito por Oliver Stone (com 314 fuck words), para a banda sonora muito 80’s de Giorgio Moroder e para a excelência da realização Hitchkockiana de Brian De Palma..

Manhunter (1986) de Michael Mann

Dino de Laurentis convidou Michael Mann a realizar e adaptar o livro de Thomas Harris de seu título Red Dragon. Mann, na crista do sucesso de Miami Vice, teve carta-verde para fazer o filme que quis. E o filme que Mann fez, é só o melhor filme alguma vez feito no género serial Killer movie. A identificação entre um investigador e um assassino psicopata
É o mais assustador neste filme. A fotografia de Dante Spinotti, o perturbante Will Graham (personagem de William Petersen no papel da sua vida), Hannibal Lector (excelente Brian Cox) mais frio e calculista que nunca e a direcção estilizada e deslumbrante de Michael Mann, fazem o melhor filme da saga “Silence of the Lambs”.

Millers Crossing (1990) de Joel Coen

Paródia séria ao cinema de gangsters, tem a autoria dos excêntricos irmãos Coen. Com um Gabriel Byrne, de magnetismo arrebatador, e um Albert Finney inesquecível. O argumento é de um detalhe e complexidade geniais. A fotografia de Barry Sonnefeld e a mestria dos Coen, fazem este filme que facilmente entra no Top 5 dos melhores filmes de gangsters de todos os tempos.

The Beach (2000) de Danny Boyle

Irreverente, sensual, alucinado e chocante. A Praia, foi alvo de muita polémica na altura da sua estreia. A crítica odiou, o público não gostou, mas agora estranhamente está a existir uma reavaliação que finalmente está a fazer justiça a este grande filme. Um filme de sonhos impossíveis e realidades perturbadoras. Magnífico papel de Di Caprio e de um Robert Carlyle completamente enlouquecido.

Dune (1984) de David Lynch

O épico espacial que David Lynch assinou com câmara de mestre, As paisagens interiores dos personagens, a mística que envolve a história, a beleza do deserto, a inconvencionalidade das cenas, fazem deste filme um dos melhores da FC dos anos 80. O negrume de algumas cenas, afastou o público adolescente, que queria ver um novo Star Wars, mas que se deparam com um filme que faz pensar e sentir.

5 comentários:

Harry_Madox disse...

Nunca vi o Manhunter nem o The beach. Nos outros só não concordo com o Alexander: é verdadeiramente um monumento kitsh!

Bracken disse...

São grandes filmes, de facto. Quanto ao Cimino, soube que o homem (?), hoje fisicamente um híbrido entre José Castelo Branco e Tim Burton, esteve há uns anos em Portugal à cata de financiamento para um épico sobre o "achamento" do Brasil. Onde andaria o Paulo Branco na altura?
Abraço,
Bracken

Luís Alves disse...

bracken: realmente ele fisicamente não está na melhor forma:), mas ele já cá esteve de novo a convite da cinemateca há dois anos atrás. Na altura tive oportunidade de o comprimentar, e deixa q te diga: o homem está muito lúcido ainda:). Abraço

madox: compreendo quem ache o Alexander kitsh, mas discordo. Para mim Alexander é excessivo, isso é sem dúvida. Abraço

Ricardo disse...

Luís,

Nesta lista estão filmes impressionantes. É caso para dizer que por certos filmes vale a pena a queda de um estúdio. Houve outros flops que são agora clássicos, lembro-me, por exemplo, de Blade Runner.

Desta lista conheço todos os filmes e não me convencem o Alexander (bom filme mas nada mais) e The Beach.

Abraço,

Knoxville disse...

Dois opostos pessoais nesta lista: O Scarface como um dos meus all-time favorites, e o Alexander como uma das maiores desilusões que apanhei numa sala de cinema.

Cumprimentos :)

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails