terça-feira, setembro 18, 2007

Bye, bye Premiere


A notícia completa encontra-se aqui.

Será que deixa mesmo saudades?

Deixem-me desde já dizer, que comprava a Premiere desde a edição nº1, no já longinquo Novembro de 1999. Na altura foi uma verdadeira pedrada no charco na imprensa cinematográfica portuguesa, que por acaso nem sequer existia! Desde o saudoso Se7e, que não havia uma publicação assim vocacionada para a 7ª arte. Notava-se nos textos, o empenho, o entusiasmo e a vontade de escrever sobre cinema em Portugal. Bons tempos esses.

Mas ultimamente algo corria mal na Premiere. Facto é, que não compro um número há mais de 4 meses. Sim os blogs e a net têm alguma culpa nesse capítulo, mas há outras razões. E uma delas prende-se com a linha editorial que a publicação estava a seguir. Uma escrita politicamente correcta, automática, previsível e uma abordagem superficial nas críticas e nas entrevistas, estava a preencher cada vez mais as suas páginas. As excepções dessa tendência, eram o sempre mordaz Crisweel e o grande João Lopes com as suas críticas/pensamentos que se destacavam do marasmo geral da revista.

É verdade que os motivos do encerramento da revista em Portugal, prendem-se com a política empresarial dos novos patrões da casa mãe americana (ah a maravilhosa globalização), que já tinham acabado com a edição norte-americana. Esse foi o indício que as restantes Premieres do mundo inteiro teriam os dias contados. Mas também é verdade que a edição em revista estava muito fraquinha.

Salve-se o Blog! Que espero que não acabe, pois bate aos pontos a sua moribunda irmã mais velha.

9 comentários:

Paulo disse...

Soube desta noticia hoje de manha e posso dizer que senti um tremor só de pensar que não vou ter a minha PREMIERE para ler ao longo do mês. Sou assinante há cerca de 4 anos e já não passo sem ela. Agora vou ter de passar...

Obrigado pela visita e pelas felicitações. Gentileza retribuida.

Cataclismo Cerebral disse...

Pois, também compro a revista desde o início e ver de repente esse vício mensal acabar está-me a custar um pouco. A verdade é que a Premiere sempre foi uma referência num país onde o cinema nunca foi rei. Vou ter saudades principalmente da guerra das estrelas, do Criswell e do último plano a cargo de João Lopes. Shit...

Abraço

jose quintela soares disse...

Notícia esperada, face à "degradação" qualitativa da revista....

Sam disse...

Também era um ávido comprador da revista, embora tivesse sempre comentado como o seu look e conteúdo editorial estava muitos furos abaixo das congéneres francesa e americana.

Confesso que não a compro já lá vai mais de um ano, e o poder de informação da Internet contribuiu decisivamente para esta minha atitude. Contudo, se o panorama editorial dedicado a Cinema, em Portugal, já era pobre, agora atinge patamares críticos.

Fico à espera de algum "sucessor".

Cumprimentos cinéfilos.

Luís Alves disse...

paulo: pode ser q surja outra revista de cinema.

cataclismo: partilho as tuas saudades, especialmente do criswell e do último plano

josé: a degradação é um facto josé, mas creio que encerraram devido a uma estratégia empresarial da casa mãe

sam: concordo na íntegra

abraço cinéfilo a todos

Gonçalo Trindade disse...

Estava longe de ser perfeita (tratava o cinema de forma talvez demasiado mainstream... só por aquelas capas...), mas era uma leitura bem agradável, e comprava-a todos os meses. Vou sentir falta da revista, que era inegavelmente um importante pedaço do universo cinematográfico português (já que a Premiere era a única revista inteiramente dedicada à Sétima Arte no nosso mercado).
Esperemos que o vazio deixado pelo seu desaparecimento possa ser ocupado em breve...

Abraço, Luís

Luís Alves disse...

realmente a premire era importante, mas creio que essa importancia se devia a ser a unica publicação dedicada ao cinema e não pelo seu valor real. abraço gonçalo

Cataclismo Cerebral disse...

Mas Gonçalo, num país onde o cinema é tão desvalorizado percebo porque é que as capas da revista eram assim: tinham de ser chamativas o suficiente para serem compradas por outros tipos de público...

Gonçalo Trindade disse...

Sim, Cataclismo, concordo, e creio que talvez tenha sido precipitado com o meu comentário. Mas a mim pessoalmente sempre me irritou um pouco... as capas pareciam por vezes pertencer a uma revista masculina, em vez de a uma revista de cinema. Percebo que tenham de fazer capas chamativas, mas creio que talvez devessem ter arranjado um melhor equílibrio melhor entre o mainstream e o público mais cinéfilo (equílibrio esse conseguido na revista em si).

Ou talvez esteja simplesmente a sonhar que estamos em França ou Espanha, onde uma revista como a "Cahiers du Cinema" pode existir... *suspiro*.

Sentirei falta da Premiere. Era, com todas as suas qualidades e os seus defeitos (mais qualidades que defeitos, claro, caso contrário não seria um comprador assíduo), uma leitura extremamente agradável... será triste ler a próxima edição, sabendo que será a última.

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails