terça-feira, março 03, 2009

K.O.

Que filme foda-se! Ainda estou KO! De momento só consigo destacar uma cena (entre muitas) que me deixou completamente rendido. Lá para perto do final Marisa Tomei tenta convencer Mickey Rourke a não entrar no ringue, pois se ele o fizer provavelmente não sairá de lá vivo. Rourke explica-lhe que sem o wrestling não vale a pena viver, pois o mundo lá fora já não quer nada com ele, e a sua vida foi, e sempre será, ali na arena. E eis que começamos a ouvir os acordes do tema que anuncia a entrada de The Ram, o belíssimo Sweet Child of Mine. Ao ouvir o seu tema, Rourke despede-se de Tomei e sem hesitação vira-lhe as costas e tem uma entrada fulgurante e gloriosa no ringue. Mas nós sabemos (assim como o The Ram) que aquela música anacrónica e triunfal, poderá ser a mais improvável das marchas fúnebres da história da 7ª arte. Aranofsky com este filme é que me fodeste. Quais Slumdogs quais quê! The Wrestler é o MELHOR FILME DO ANO!

Prometo colocar aqui uma crítica propriamente dita em breve (assim que recuperar deste visionamento) .

11 comentários:

Fifeco disse...

Sem dúvida que o filme é muito bom. Quanto a mim não é o melhor do ano, mas entre slumdog e ele, preferia que o wrestler tivesse ganho.

De facto, a música dos guns é fabulosa mas naquele final, perfeita, perfeita, era a música do springsteen que incompreensivelmente não foi nomeada.

Abraço

Hugo disse...

Ainda não chegou à Asia infelizmente...

Luís disse...

Fifeco, gostei da musica do boss. Mas gostei mais da dos guns, por ser inesperada e funcionar muito bem naquele contexto, dando uma carga emocional inesperada. Agora o slumdog não me convenceu nada.

Hugo, na asia não ha net?:)

abraços

João Ricardo "Blog da Pipoca" disse...

Fraquinho!! Rocky Balboa vence-o por KO e nao aos pontos... Mas isto das opiniões sã como as vaginas: quem quiser dar, dá (Herman Enciclopédia)

Abraço

Marreta disse...

Também destaco essa cena, foi de arrepiar os pintelhos. Grande filme, gostei sim senhor. Era capaz de enfiar lá mais 2 ou 3 temas dos 80 que ficavam a matar, mas a banda sonora não está mal.
Fui ver o Gran Torino, com algumas reticências, e também é um filme do caralho, Clint Eastwood no seu melhor, talvez no último papel da sua vida.

Saudações do Marreta.

Luís disse...

João, gostaria de saber onde é que raio o mickey não da um baile sem espinhas ao stallone. Ja agora gostaria de saber quais os teus argumentos para uma afirmação dessas...:)

Marreta, nem mais. E falta--me o Torino para acabar a safra de 2008.

abraços cinéfilos

Nasp disse...

Acabei de ver, é um bom filme, partilho da tua opinião a cena favorita é mesma a final antes da entrada no ring...

The only place I get hurt is out there. The world don't give a shit about me.

[TB] disse...

Ficas-te KO..Até acredito mas este "tarzan taborda" não tem nada de novo é previsivel,tras a nostalgica ternura dos 80(a qual eu pertenço tb).A cena final é obvia, um gajo q nada mais fez na vida a não ser lutar,iria morrer de amores e não entrar no duelo com o aiatola como á 20 anos?? Bom foi o "cut" no momento certo para não estragar.
Gostei do filme sim sem duvida,a excelente representação do Mikey mas para mim é outro Balboa mas melhor.

Falta agora ver o velho clint no Gran Torino

Abraço

Luís disse...

Nasp, essa frase é desarmante e trágica. Brutal!

Meu caro TB, comparar o Wrestler com o Balboa, é comparar uma lagosta a um coirato! O realismo incondicional e a simplicidade desta fita é a sua grande mais valia. E sim o fim é previsivel, uma vez que todo o drama de The Ram aponta para ali. Mas foi precisamente aí o trunfo do filme, o seu fatalismo. Apesar de ainda haver uma nesga de esperança com a figura da tambem decandente (fazendo um paralelismo muito interessante) da striper de Marisa Tomey. Se fores vêr um filme sobre Cristo, tu ja sabes o final ( o gajo acaba na cruz dah!). E é precisamente o mesmo o que se passa aqui. A personagem de The Ram tem de fazer o sacrificio final para justificar a sua existencia. E o mais fascinante é que esse caminho foi escolhido por si e por mais ninguem. Se The Ram está sozinho, só pode agradecer a sim próprio. Para mim interessante não é o fim, mas o caminho até lá. E se voltas a comparar Rocky's com esta obra de arte, nunca mais te deixo brincar com os meus playmobil.:)

abraço com caril

variasformasdearte disse...

Pois é Amigo alguém te fodeu!!!

Já vi e para um filme baseado em factos reais está muito BOM!

Mas deixa-me salientar a minha pobre opinião, no inicio fiquei "à espera" e realmente a meio despertou o meu interesse!

Cenas bem conseguidas; planos interessantes (mas isso deixo para Ti); a realidade dura da sua opção de Vida e "lutou" para isso, pois não sabia fazer mais nada e está-lhe no sangue; a decadência e o ponto a que se pode chegar... uma mensagem!

O toque final, esse sim é K.O!!

O papel do Mickey foi para a sua medida... na PERFEIÇÃO!!

Fica bem

Luís disse...

Obrigado Paula. Bjs

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails